2017

CARLOS ALBERTO BARBOSA

Orientador (a):  Luisa Angélica Paraguai Donati

Design e Tecnologia: Walter Benjamin e as alegorias da cidade cartografada
Resumo:
Esta pesquisa discute a possibilidade de aplicar ao campo do design, representado pelas cartografias digitais e analógicas, o pensamento estético e a crítica redentora de Walter Benjamin sobre as expressões da modernidade no final do século XIX e início do século XX. Na crítica benjaminiana, as
tecnologias mecânicas de reprodução de imagens são usadas para apoiar uma visão crítica da cidade vista como fetiche – nesse caso particular a cidade de Paris durante o Segundo Império e início do século XX. Benjamin revela através de imagens e da figura do flâneur uma visão alegórica de Paris, apontando a cidade como uma expressão da modernidade e, portanto, da precariedade e da caducidade. Para tornar esses elementos notados e estabelecer uma visão crítica da cidade, o flâneur e a alegoria serão instâncias de oposição ao espaço urbano construído que ameaça a condição histórica dos habitantes da cidade.
Da mesma forma, este trabalho faz uso da alegoria e da flânerie como práticas para discutir o aplicativo Waze e o projeto Sensory Maps, da designer e artista plástica Kate McLean.

Arquivo PDF


JOSÉ NETO DE FARIA

Orientador (a):  Mirtes Cristina Marins de Oliveira

As categorias filosóficas de Gilbert Simondon e suas relações com o objeto técnico do campo de saber do design

Resumo:
A presente tese buscou pesquisar e estudar os ciclos de reorganização do design em função dos currículos das principais instituições de ensino do design com o intuito de delimitar o pensamento que constitui tanto o objeto cultural quanto o próprio campo de saber do design através das categorias filosóficas de Gilbert Simondon. Assim, a pesquisa tem como principal objetivo abordar o objeto cultural do campo do design com o auxílio das categorias filosóficas de Gilbert Simondon, a fim de reconstruir as formas de análise e os modelos de compreensão necessários à descrição das operações e das funções das supraestruturas constituintes dos sistemas de informação enquanto objeto cultural do design. A metodologia buscou provocar o surgimento de conjuntos de explicações concorrentes a fim de que pudesse ser instigado o surgimento de processos de diferenciação, de integração e de desdiferenciação capazes de induzir elucidações tanto sobre a constituição dinâmica do campo de saber do design quanto da dinâmica de renovação do objeto cultural do design. A tese tem a sua relevância baseada justamente na importância de se caracterizar e compreender o espaço e o tempo próprios do devir do design, buscando antever aquilo que previamente se anuncia nos sintomas emitidos como formas de sinais pelo sistema, por tentar romper com a lógica de leitura dos sistemas de informação baseada na compreensão mais das qualidades estéticas de suas partes do que propriamente das supraestruturas articuladoras e integradoras de constituição do objeto. No entanto, a primeira impressão é de que o campo do design é um território de passagem, que conforme as caravanas passam, se reorganiza, por isso não se deve estranhar que o campo de saber do design seja sempre descrito a partir de outros campos do conhecimento. O foco na superfície do que se vê não pode revelar a supraestrutura que sustenta a pele do objeto do design.

Arquivo PDF


MAYRA FERREIRA MARTYRES ALEXANDER

Orientador (a):  Mirtes Cristina Marins de Oliveira

O design urbano da cidade de Belém: possibilidade de elaboração de um ecomuseu

Resumo:
A presente pesquisa apresenta como foco principal a possibilidade de elaboração do Ecomuseu de Belém, considerando como referência a nova museologia que ao reconhecer a cidade como local aberto à interação, possibilita um diálogo entre o design urbano da cidade e museu. As ações de mudanças na paisagem urbana ocorridas na cidade, desencadearam a necessidade de salvaguardar os bens através da preservação do patrimônio cultural, cenário este que associado a dinâmica da cidade e tendo como referência a valorização de seu patrimônio arquitetônico, natural e cultural, além
dos costumes e rituais locais, contribuíram para a elaboração do ecomuseu. Essa configuração de museu surgiu diante da inquietude de novos hábitos, dos processos de comunicação e das tecnologias que instigam a agregar outras possibilidades de interações no cotidiano da cidade. Acredita-se, que as características presentes, na cidade de Belém, a qualificam para classificá-la como ecomuseu, pois elas se encontram alinhadas com o debate do museu contemporâneo e podem transformar o olhar sobre Belém e sua paisagem urbana, fomentando um museu aberto para trocas, seja com o visitante/habitante, com as instituições, e/ou com o espaço público e urbano. A partir dessa premissa, foi elaborado um plano de desenvolvimento, de gestão e de ações, com participação da comunidade e instituições públicas e privadas, para o ecomuseu.
Essa proposta busca debater a preservação e apropriação do espaço urbano por meio do design, arte, arquitetura e natureza.

Arquivo PDF

Comments are closed.