2017

CAROLINE CARVALHO BARBOSA

Orientador (a):  Mirtes Cristina Marins de Oliveira

Design expositivo: modernismo italiano revisitado no museu de arte de São Paulo “Assis Chateaubriand”

Resumo:
O retorno de exposições no Museu de Arte de São Paulo “Assis Chateaubriand” – MASP a partir do ano de 2015 é uma revisão do programa museológico com vias a delinear as próximas ações maspianas. O design expositivo italiano, delineado a partir da influência de El Lissitisky e da produção no âmbito das vanguardas europeias, teve no Brasil o MASP como espaço para sua expressão através, principalmente, da atuação de Lina Bo Bardi. A partir desse contexto, a presente pesquisa tem por objetivo pontuar aspectos do design expositivo italiano, sob influência das premissas da arquitetura e da arte modernas italianas.
A exposição Arte na moda: coleção MASP Rhodia (2015-2016) apresenta 79 peças do vestuário que foram doadas pela Rhodia para o acervo do MASP no ano de 1972, sendo essa mostra, através da análise de seus dispositivos expositivos o objeto desta pesquisa.
Aqui se fez uso das técnicas bibliográfica e documental, detendo-se esta última da análise de documentos, textos, desenhos e imagens relacionadas à exposição Arte na moda: coleção MASP Rhodia, realizada no Centro de documentação do MASP. A exposição apresenta um display distinto daqueles que marcaram a produção italiana no campo do design expositivo.

Arquivo PDF


HERNAN DANIEL SCANAVINO

Orientador (a): Gisela Belluzzo de Campos

A informação no design gráfico de embalagem: Perspectiva de aplicação da infografia e da visualização de dados

Resumo:
Esta dissertação investiga a perspectiva de uso da infografia e visualização de dados como novas alternativas para a disposição de informações no design gráfico de embalagem, com o objetivo de demonstrar que estes recursos podem influenciar e facilitar as escolhas do consumidor no momento da compra. A proposta de explorar esta temática surgiu a partir da observação de que a área do verso das embalagens, especialmente na categoria de alimentos e bebidas, costuma apresentar um design de baixa qualidade, indicando que as informações ficam em segundo plano nas considerações de projeto (Calver, 2009). Como escopo teórico, foram levantadas as principais definições e conceitos de design de informação e sua relação com o design de embalagem. Fundamentado em autores como Flusser (2013), Barthes (2004) e Lévy (2004), também se abordou a questão da linearidade.
Igualmente, foram pesquisados os princípios da infografia e visualização de dados e relacionados com embalagens que fazem uso destas representações para comunicar informações do produto. Considerou-se a perspectiva do usuário, por meio de questionário com o comparativo de rótulos de um mesmo produto, sendo um deles elaborado com o recurso da infografia, e os demais com informações do produto apresentadas principalmente em blocos de textos. Somado a isso, foram realizadas entrevistas com especialistas, incluindo profissionais de agências de design de embalagem. De um modo geral, foi possível verificar que a face frontal é privilegiada nas considerações de um projeto de design gráfico de embalagem, enquanto o verso recebe uma dedicação menor, bem como que os recursos de infografia e visualização de dados, aplicados ao design gráfico de embalagem, podem influenciar a tomada de decisão de consumidores.


HERNAN DANIEL SCANAVINO

Orientador (a): Gisela Belluzzo de Campos

A informação no design gráfico de embalagem: Perspectiva de aplicação da infografia e da visualização de dados

Resumo:
Esta dissertação investiga a perspectiva de uso da infografia e visualização de dados como novas alternativas para a disposição de informações no design gráfico de embalagem, com o objetivo de demonstrar que estes recursos podem influenciar e facilitar as escolhas do consumidor no momento da compra. A proposta de explorar esta temática surgiu a partir da observação de que a área do verso das embalagens, especialmente na categoria de alimentos e bebidas, costuma apresentar um design de baixa qualidade, indicando que as informações ficam em segundo plano nas considerações de projeto (Calver, 2009). Como escopo teórico, foram levantadas as principais definições e conceitos de design de informação e sua relação com o design de embalagem. Fundamentado em autores como Flusser (2013), Barthes (2004) e Lévy (2004), também se abordou a questão da linearidade.
Igualmente, foram pesquisados os princípios da infografia e visualização de dados e relacionados com embalagens que fazem uso destas representações para comunicar informações do produto. Considerou-se a perspectiva do usuário, por meio de questionário com o comparativo de rótulos de um mesmo produto, sendo um deles elaborado com o recurso da infografia, e os demais com informações do produto apresentadas principalmente em blocos de textos. Somado a isso, foram realizadas entrevistas com especialistas, incluindo profissionais de agências de design de embalagem. De um modo geral, foi possível verificar que a face frontal é privilegiada nas considerações de um projeto de design gráfico de embalagem, enquanto o verso recebe uma dedicação menor, bem como que os recursos de infografia e visualização de dados, aplicados ao design gráfico de embalagem, podem influenciar a tomada de decisão de consumidores.


MARCIO RODRIGUEZ TAÚ

Orientador (a):  Sérgio Nesteriuk Gallo

Design em movimento: elementos da linguagem gráfica nos créditos de abertura de filmes

Resumo:
Essa dissertação investiga o uso de elementos gráficos no cinema, com o objetivo de entender como o design pode colaborar para a construção da mensagem audiovisual e identificar as potencialidades que o movimento pode acrescentar às composições gráficas em créditos de aberturas de filmes. O projeto partiu da constatação de que cada vez mais os designers gráficos tem a necessidade de incorporar o tempo e o movimento em seus projetos multiplataformas, o que suscita, por sua vez, diversas reflexões de ordem teórica e prática. Assim sendo, dentro do escopo teórico delimitado, foram abordados assuntos referentes à imagem em movimento, princípios da animação, design gráfico digital, motion graphics e o design gráfico no cinema e em créditos de abertura de filmes, por meio de autores como Arlindo Machado (1997, 2005 e 2010), Gilles Deleuze (1985 e 1990), Paul Wells (1998 e 2008), Donis Dondis (2007), Ellen Lupton (2013 e 2015), Matt Woolman (2004), Lev Manovich (2005, 2006, 2007, 2008 e 2012) e Gemma Soloma e Antonio Boneu (2007), entre outros. Por fim, é apresentado, como estudo de caso, uma breve contextualização seguida das análises dos créditos de abertura dos filmes: “Até que a sorte nos separe 2” (2013, direção: Roberto Santucci) e “Meu passado me condena: o filme” (2013, direção: Julia Rezende). A proposta de escolher esses filmes foi a de propiciar um olhar sobre a produção contemporânea do design gráfico audiovisual brasileiro, além de possibilitar um estudo sobre créditos de abertura de filmes nacionais – não identificado na literatura da área consultada nesta pesquisa.

Arquivo PDF


MARCUS VINICIUS PEREIRA

Orientador (a):  Cristiane Ferreira Mesquita

Design de Moda e Arquitetura: efemeridade entre corpos e espaços

Resumo:
O presente trabalho expõe uma investigação acerca de modificações na percepção de tempo e de espaço na sociedade contemporânea, possíveis de serem identificados nos campos do Design de Moda e da Arquitetura. Para tanto, são contextualizadas algumas mudanças que marcaram a virada do século XIX com a Revolução Industrial e que modificaram os modos de vida e a produção de subjetividades. A efemeridade emerge como conceito marcante no século XX, a partir da consolidação de aspectos como a aceleração e o deslocamento. Com base nesta perspectiva, são apresentadas a coleção de moda Afterwords, criada por Hussein Chalayan e a obra arquitetônica Blur Building, proposta pelo estúdio Diller Scofidio. Por fim, do trabalho Design for Difference, desenvolvido pela designer de moda Angela Luna, deriva-se uma breve discussão dos vestíveis como produção de territórios de existência, colaborando para a ampliação dos diálogos entre os campos do Design de Moda e da Arquitetura.

Arquivo PDF


NIVIA BARBOZA FERREIRA

Orientador (a):  Dr. Sérgio Nesteriuk

Design de emergência em games

Resumo:
Jogos são ambientes propícios ao surgimento de novos padrões de comportamento (emergência). Faz-se necessário compreender a natureza dessas mudanças observando-se as demandas e seu potencial modificador nesse processo. Para embasar esta trajetória foram apresentados conceitos de emergência desde as ciências clássicas até estudos contemporâneos que tangenciam o metadesign e o design de jogos. Esta dissertação tem o objetivo de investigar o fenômeno da emergência nos jogos digitais, abordando a utilização de recursos projetuais que possam aumentar a interatividade e potencializar esse processo. A pesquisa envolve revisão bibliográfica, articulação dos conceitos de sistemas complexos adaptativos (SCA), incidência de emergência no design de games e a análise de três objetos selecionados: Tibia, PokemonGo e The Sims. Destacam-se as perspectivas de uso de metadesign e inteligência artificial como recursos propulsores de novos comportamentos. Discute-se a relação contexto, fenômeno e ferramenta como: sistemas complexos adaptativos, emergência e inteligência artificial. Conclui-se que o uso de metodologias que incorporam metadesign e o jogador como codesigner são mais adequadas para lidar com o caráter emergente dos jogos. Além disso, o uso de inteligências artificiais amplia as possibilidades de interação no jogo, multiplicando a quantidade de agentes ativos no sistema.

Arquivo PDF

VITOR DE CASTRO FERNANDES

Orientador (a):  Gilberto dos Santos Prado

A sinalização externa de fachadas no atual contexto urbano da cidade de São Paulo: Projeto de design das farmácias Drogasil e Raia

Resumo:
Esta pesquisa propõe uma investigação exploratória do comportamento das marcas no contexto urbano da cidade de São Paulo. Para tanto pretende-se, inicialmente, compreender a configuração dos elementos que compõem um sistema de identidade visual por meio de uma observação histórica das origens das marcas e seu desenvolvimento até os dias atuais. Por se tratar de uma abordagem relacionada à capital paulista, serão estudados o contexto urbano e sua percepção ambiental, considerando as mudanças ocorridas na paisagem paulistana devido ao crescimento acelerado da metrópole nas últimas décadas. Neste sentido, torna-se oportuno levantar as restrições impostas pela Lei Cidade Limpa vigente no município há uma década. Por fim, para ilustrar a relação da sinalização das marcas na cidade, será realizado um estudo de caso das fachadas das lojas da rede de farmácias Raia/Drogasil, líder do setor farmacêutico no país e que abrange grande fluxo de clientes de diversos perfis socioeconômicos. Tal estudo busca compreender os recursos estéticos utilizados nos elementos que circundam os projetos de comunicação visual de suas fachadas, considerando as restrições impostas pela Lei.

Arquivo PDF

Comments are closed.