Cristiane Ferreira Mesquita

O CUIDADO DE SI: CONEXÕES ENTRE DESIGN, PROCESSOS DE SUBJETIVAÇÃO E ARTE CONTEMPORÂNEA

Linha de pesquisa: TEORIA, HISTÓRIA E CRÍTICA DO DESIGN

Docente Responsável: CRISTIANE MESQUITA

Início: 2015

Descrição:

A pesquisa investiga percursos transversais em pesquisas e processos de criação em Design. Visa explorar e produzir teorias e práticas em torno da interação entre o corpo, processos projetuais, artefatos e produtos, bem como de suas reverberações subjetivas. Enfoca conexões entre Design, Filosofia da Diferença, Psicanálise e Arte contemporânea, com destaque ao contexto definido como cultura somática, o qual ressalta o corpo, a aparência e a visibilidade como fortes vetores de processos de subjetivação no contemporâneo. Neste momento, o projeto concentra-se especialmente sobre processos de criação de designers que problematizam as políticas do vestir no contemporâneo e no Projeto CUIDE-SE [o cuidado de si: atividades sobre você, seu corpo, sua roupa e sua imagem], que oferece atividades para grupos de pacientes em psicoterapia, como um dos dispositivos da perspectiva entendida como Clínica Ampliada no Instituto Sedes Sapientiae/SP. São exploradas teorias sobre processos de subjetivação, a partir de ferramentas conceituais e práticas, advindas dos campos do Design, da Filosofia, da Psicanálise e da Arte. Esta prática integra as práticas de uma equipe multiprofissional que atende pacientes com as diretrizes do Projeto clínico-ético-político.

 


DESIGN E CONSPIRAÇÃO: PERSPECTIVAS EM ZIGUEZAGUE ENTRE ARTE E FILOSOFIA

Linha de pesquisa: TEORIA, HISTÓRIA E CRÍTICA DO DESIGN

Docente Responsável: CRISTIANE MESQUITA

Início: 2015

Descrição:

A pesquisa investiga diálogos entre as áreas do Design, da Arte e da Filosofia. Propõe uma compreensão do Design como campo de conexões e contaminações férteis entre diversas áreas de produção de conhecimento, de teorias e de práticas poéticas, estéticas e políticas em diálogo com os fluxos da subjetividade contemporânea. Parte da colocação do filósofo tcheco Vilém Flusser sobre os significados semânticos do termo “design”, tais como “plano”, “intenção”, “esquema maligno”, “conspiração”, entre outros, relacionados à “astúcia” e à “fraude”. O autor também explora o verbo “to” design na perspectiva de “tramar”, “simular” e “proceder de modo estratégico”. Neste sentido, conduz estudos que confrontam a acepção modernista do Design e estimulam correspondências com concepções advindas da Arte e da Filosofia. Assim, investiga processos de criação de designers e de artistas e reporta para indagações da Filosofia que colaborem a reflexões. Os interesses dessa proposta também voltam-se às reverberações que estes campos produzem entre si e enfatizam o conceito de ziguezague, tal como proposto pelo filósofo francês Gilles Deleuze, como metodologia de trabalho.

 

retornar

Comments are closed.