Mirtes Marins

Mestre e doutora em Educação: História e Filosofia, pós-doutora pela FE-USP. Coeditou, com Lisette Lagnado, a publicação marcelina (2008-2012). Curadora de “contra o estado das coisas – anos 70”, na Galeria Jaqueline Martins, em 2014, de “Arte para todos! Liberação e Consumo” (Instituto Figueiredo Ferraz) e “especular”, na Galeria Jaqueline Martins, em 2018. Participou do livro “Cultural Anthropophagy: The 24th Bienal de São Paulo 1998”, e da coleção Exhibition Histories, da editora inglesa Afterall com texto sobre a recepção crítica da mostra. Organizou, com Fabio Cypriano, o livro “Histórias das Exposições: Casos Exemplares”, pela EDUC (2016). Autora de “The body and the opus as a witness of times” sobre o trabalho de Letícia Parente, publicado em Schor, Gabriele. The feminist avant-garde. Art of the 1970s, The SAMMLUNG VERBUND Collection. (Vienna, 2017). Escreveu para revistas e plataformas Select, Arte Brasileiros!, Artsoul, Afterall Online, entre outras. Realizou, em 2019, a exposição Comigo ninguém pode, coletiva versando sobre a essencialização do feminino, na Galeria Jaqueline Martins. Docente do PPG Design da Universidade Anhembi Morumbi.

Design de Exposições: Práticas em Arte, Moda e Fotografia

O grupo integra o Centro de Pesquisa em Design da Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Desenvolve estudos críticos que reflitam sobre as relações entre formas expositivas e seu conceito. Elabora curadorias experimentais que busquem ultrapassar conceitos e formas curatoriais hegemônicas. Desenvolve de estudos sobre a metodologia de compreensão da linguagem fotográfica. Revisa algumas narrativas estabelecidas pela História da Arte e do Design (tradicional, linear, de perspectiva eurocêntrica ou norte-americana) sobre exposições e produção brasileira a partir da década de 1940 até a contemporaneidade.

Link: https://dgp.cnpq.br/dgp/espelholinha/7115284236836927433615

Design de Exposições: Práticas Contemporâneas

A pesquisa objetiva o estudo das formas expositivas ao longo da história, em particular a partir do período das vanguardas históricas, com ênfase nas exposições voltadas à produção da arte e design contemporâneos. Discute a relação entre a materialidade apresentada pela forma expositiva em relação a aspectos contextuais e ideológicos, tendo como documento privilegiado a documentação produzida no âmbito das exposições, tais como imagens fotográficas, catálogos, plantas, entre outros.

Produções Bibliográficas – Periódicos

OLIVEIRA, M. M. de. Exposições como arenas de poder. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, n.9, 2019, p. 42-51.

Resumo: O presente artigo aponta para a construção de categorias fundamentais no campo da arte, tais como a própria definição de arte, de artista e, por consequência de outros agentes e suas relações. Independente das abordagens na elaboração do desenho do campo artístico, trabalha-se com a hipótese que a exposição de obras, ao longo do tempo e em diferentes contextos, tem um papel fundamental no enunciado institucional que busca afirmar as categorias em disputa, participando, portanto, de forma ativa das disputas de poder. Nesse sentido, também é apresentado um breve relato sobre a constituição do campo curatorial que caracterizaria o agente responsável pela elaboração de exposições.

Palavras-chave: Design Expositivo. Histórias das Exposições. Curadoria. Campo artístico.

Link: https://www.sescsp.org.br/files/edicao_revista/1ff70e1f/6c43/45f1/987f/44dcb520b0d1.pdf


OLIVEIRA, M. M. de. Como viver junto: 27a Bienal de São Paulo e a questão nacional/ internacional. Modos, v. 02, p. 180, 2018.

Resumo: O texto analisa elementos da 27ª edição da Bienal de São Paulo, em especial seu contexto institucional. Como categoria metodológica para a análise é operado o conceito de display, conforme elaborado pelo curador e crítico Pablo Lafuente, no qual considera-se não apenas a proposta curatorial de uma exposição e sua articulação arquitetônica, mas todos seus elementos conectados, tais como obras, textos (de parede e também das etiquetas, catálogos, folders, audio-guides, entre outros), a história e perspectiva institucional e a participação do visitante (pretendida e efetiva). Ainda que a análise não se pretenda exaustiva, busca desenhar possibilidades de operações no que diz respeito aos estudos expositivos. Como pano de fundo, enfoca-se a noção de nacional/internacional, que organiza as edições da Bienal de São Paulo desde o ano de sua fundação, em 1951, conforme o modelo propagado pelas Exposições Universais do século XIXe, em particular pela Bienal de Veneza (1895), referência para o evento brasileiro.

Palavras-chave: Estudos expositivos; 27aBienal de São Paulo; display; histórias das exposições

Link: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/mod/article/viewFile/1863/3003


GODOY, G. T.; OLIVEIRA, M. M. de. Acervos de centros de pesquisa: a construção da narrativa histórica e os materiais iconográficos | Research centers accounts: The construction of historical narrative and iconographic materials. Pós-Limiar, v. 1, p. 89, 2018.

Resumo: O presente trabalho busca discutir a necessidade e urgência da organização e catalogação de materiais iconográficos do tipo cartaz, mais especificamente os que se opuseram ao Regime Militar brasileiro e que hoje são propriedade patrimonial dos centros de pesquisa Arquivo Edgard Leuenroth, Centro de Documentação e Informação Científica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Centro de Documentação e Memória da Universidade Estadual de São Paulo e Fundação Perseu Abramo no Estado de São Paulo. O texto descreve as visitas realizadas aos acervos, com o objetivo de identificar as estruturas de acesso aos documentos e seus impactos nas construções das análises históricas e visuais dos documentos do tipo cartaz. Também se busca intensificar a discussão sobre a importância das leituras e informações coletadas através de materiais iconográficos produzidos no contexto histórico da ditadura brasileira, a fim de criar outras possibilidades de narrativas acerca deste tema.

Palavras-chave: Cartazes históricos. Centros de pesquisa. Ditadura brasileira.

Link: https://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/pos-limiar/issue/view/378/showToc


SETTON, M. G. J.; OLIVEIRA, M. M. de. Os Museus como espaços educativos. Educação em Revista, v. 33, 2017, p. 1-23.

Resumo: O objetivo deste artigo é fazer uma reflexão acerca dos espaços museológicos como prática educativa. Concebendo-os como um lazer diferenciado, tem-se uma falsa representação de que parte da população seria incapaz de usufruir de seus acervos. Partindo de uma perspectiva histórica acerca dos museus e da teoria de Pierre Bourdieu, procurou-se observar estruturas mentais que instauram barreiras culturais para algumas linguagens e práticas. Nesse sentido, como inspiração, visitaram-se alguns acervos no intuito de apreender as estratégias de aproximação e/ou afastamento de suas exposições. Para finalizar, problematizando o envolvimento com práticas de cultura responsáveis em grande parte pela formação de um capital cultural, provocou-se a reflexão sobre as diferentes formas de apreciar e de se sensibilizar com artefatos culturais diversos.

Palavras-chave: Museus; Arbitrário cultural; Legitimidade cultural; Educação.

Link: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102-46982017000100133&lng=en&nrm=iso&tlng=pt


MOREIRA, S. F. S.; OLIVEIRA, M. M. de. The Truthful Art: Data, Charts and Maps for Communication Alberto Cairo. INFODESIGN (SBDI. ONLINE), v. 14, p. 397-403, 2017.

Resumo: Resenha sobre o livro The. Truthful Art: Data, Charts and Maps for Communication, de Alberto Cairo. Berkeley: New Riders, 2016. 382 p.

Palavras-chave: Design de Informação; comunicação; infografia.

Link: https://www.infodesign.org.br/infodesign/issue/view/39


Produções Bibliográficas – Livros Organizados

OLIVEIRA, M. M. de. CYPRIANO, F. (orgs). Histórias das Exposições: Casos Exemplares. 2. ed. São Paulo: EDUC – Editora da PUC-SP, 2016. 176 p.


Produções Bibliográficas– Capítulos de Livros

SETTON, M. G. J.; GOMES, L. O.; DANTAS, A ; Teixeira, M.N.; OLIVEIRA, M. M. de; PIPINIS, V. ; PRAZERES, M.; RATIER, R.; REIS, P. A. B.; VALENTE, G. A.; KNOBLAUCH, A.; GOMES, E. E. Display como estratégia educacional e roteiro crítico para visitar exposições. In: SETTON, M.C.J. (org.). Sociologia da socialização: novos aportes teóricos. São Paulo: GPS/FE-USP, 2018, p. 61-74.


OLIVEIRA, M. M. de.; MENDONÇA, B.; LIMA, A.L.; DERDYK, E. Você fica perdido – Livro como dúvida e deriva. In: BITTENCOURT, B. (org.). São Paulo: Plana, 2018, p. 52-57.


OLIVEIRA, M. M. de; TABACH, V. Virada Educacional como Ponto em Percurso. In: CYPRIANO, F. (org.). Histórias das Exposições Debates Urgentes. 1ed.São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2018, v. 1, p. 87-120.


OLIVEIRA, M. M. de; LAFUENTE, P.; CASTRO, A.; VALENTINI, L.; GIUFRIDA, G.; VARRICHIO, J.; FRAJNDLICH, R. U.; MARTINEZ, F.; SMIT, M. Mostrar, narrar, vender e convencer: a invenção de táticas de display. In: GIUFRIDA, G.; VARRICHIO, J. (orgs). Museu do louvre pau brazyl. São Paulo: Meli-Melo, 2016, p. 85-91.


OLIVEIRA, M. M. de. SCHOR, G.; SOLOMON-GOUDEAU, A.; DANN, T.; MORGAN, J. Leticia Parente – The body and the opus as a witness of time. In: SCHOR, G. (org.). Feminist Avant-Garde. Art of the 1970s. Londres: Prestel, 2016, v. 1, p. 99-102.


OLIVEIRA, M. M. de; HERNÁNDEZ, A. I. M.; VAZ, B. G.; GARCIA, D.; BAMBOZZI, L.. Leovel Tornés. Contradições em Trânsito. In: HERNANDÉz, A. (org). Obras comentadas (doações) MUnA 20 anos. Uberlândia: Andrés Hernández, 2016, p. 5-7.


OLIVEIRA, M. M. de. MAIA, A. M.; ALVES, C.; CYPRIANO, F.; SPRICIGO, V. P.; ARANTES, P. Anotações para pesquisa: histórias das exposições e a disseminação do cubo branco como modelo neutro, a partir do Museum of Modern Art, de Nova York. In: CYPRIANO, F.; OLIVEIRA, M. M. de (orgs). Histórias das Exposições: Casos Exemplares. 2ed.São Paulo: EDUC – Editora da PUC-SP, 2016, v. 1, p. 17-23.


Produções Bibliográficas – Anais

OLIVEIRA, Mirtes C. Marins. Diálogo Lúdico: Equipe3 e Jovem Arte Contemporânea. 27o Encontro da Associação Nacional dos Pesquisadores em Artes Plásticas. Práticas e controntações. São Paulo 24 a 28 de setembro de 2018.

O artigo elabora uma narrativa a partir da produção de Equipe3 – Lydia Okumura, Genilson Soares e Francisco Iñarra – e de Arte-Ação – Genilson Soares e Francisco Iñarra – durante a década de 1970 em relação ao contexto do período, em especial as exposições denominadas Jovem Arte Contemporânea no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Além disso, busca refletir sobre o obscurecimento de certa produção experimental da mesma década em relação ao desenho do circuito artístico encontrado depois do final da ditadura brasileira, nos anos 1980.

Palavras-chave: Equipe3; Arte-Ação; Arte Experimental; Jovem Arte Contemporânea; ditadura brasileira.

Link: https://anpap.org.br/anais/2018/f


OLIVEIRA, Mirtes C. Marins de. O Espaço Ensina: as histórias das exposições e a centralidade da noção de display. 26o Encontro da Associação Nacional dos Pesquisadores em Artes Plásticas. Memórias e Inventações. Campinas, 25 a 29 de setembro de 2017.

Resumo: O texto articula autores tais como Bennett, Birkett, Lafuente, Hopper Greenhill, entre outros, que, de diferentes perspectivas, atribuem centralidade ao elemento arquitetônico às curadorias, mas atrelado fortemente à dimensão pedagógica que esse elemento apresenta. Com essa articulação, pretende-se elaborar uma possível abordagem para os estudos no campo das Histórias das Exposições, fundamentada na noção de display, que, segundo Pablo Lafuente articula um conjunto específico de relações entre objetos, pessoas, ideias e estruturas dentro de um formato expositivo. O estudo é parte de pesquisa vinculada à estágio pós-doutoral em curso.

Palavras-chave: Histórias das Exposições; display; arquitetura; virada educacional.

Link: https://anpap.org.br/anais/2017/PDF/S05/26encontro______OLIVEIRA_Mirtes_Marins_de.pdf


MOREIRA, S. F. S.; OLIVEIRA, M. M. de; CARVALHO, A. R. Visualização de dados: linguagem visual para informar ausências. In: 8º Congresso Internacional de Design da Informação / 8º Congresso Nacional de Iniciação Científica em design da informação, 2018, São Paulo. Blucher Design Proceedings. São Paulo: Editora Blucher, 2017. p. 1089-1096.

Resumo: A partir de um estudo de caso concreto de visualização de dados e informação para a gestão de ações programáticas de uma instituição cultural – o Sesc SP –, o presente artigo procura demonstrar a relevância da exibição de dados secundários, aqueles que estão ausentes na base de dados, como definidos por Floridi (2010), necessários para a identificação imediata de eventuais lacunas de programação. Neste contexto, observa-se a pertinência da utilização de estratégias de visualização de dados por meio de interfaces interativas que considerem o uso adequado da linguagem visual, considerando fundamentos do design tais como a hierarquia, o grid e a cor e, além das aparências, a estruturação dos dados, as múltiplas possibilidades de busca e a melhor representação gráfica possível para cada contexto. O objetivo da interface é proporcionar maior eficiência nas tarefas de exploração das ações realizadas acerca das dimensões de espaço (local onde ocorrem), tempo (quando ocorrem) e categoria (eixos programáticos de atuação).

Palavras-chave: Visualização de dados, dados secundários, interface interativa, gestão cultural, Sesc SP,

Link: https://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/visualizao-de-dados-linguagem-visual-para-informar-ausncias-28087


FARIA, J. N. de; OLIVEIRA, M. M. de. Sistemas Dinâmicos de Informação: Modos de promover a resiliência e combater a supremacia do indivíduo produtor sob o indivíduo interpretador. In: XXI Congreso Internacional de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital, 2017, Concepción. Blucher Design Proceedings. São Paulo: Blucher, 2017. p. 41-48.

Abstract: This article discusses existing resilience level of “dynamic Information Systems” related to “relation models” adopted by main theoretical authors at Design Information field. The main work objective was to recognize and to relate “relation models” with resilience levels. These models has exhibited, on development of “dynamic information systems”, emphasis in producer subject principles over interpreter subject requests. However, factors resulting of “relation models” help to arise a set of resilience attributes that may be used to develop systems with higher resilience level.

Keywords: Information Systems, Resilience, Relation Models, Information Production, Information Interpretation,

Link: https://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/sistemas-dinmicos-de-informao-modos-de-promover-a-resilincia-e-combater-a-supremacia-do-indivduo-produtor-sob-o-indivduo-interpretador-27603


Produção técnica

OLIVEIRA, M. M. International Symposium on Curating – The papers of the exhibition. 2019. Azkuna Zentroa Alhondiga Bilbao. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).
Link: https://www.azkunazentroa.eus/az/ingl/activities/international-symposium-on-curating-1/al_evento_fa

SETTON, M. G. J.; OLIVEIRA, M. M. Abordagens educacionais em exposições e museus de arte: narrativas e estratégias de convencimento em programas públicos. 2019. X Congreso Internacional de Teoria e Historia de las Artes/XVIII Jornadas del CAIA, Buenos Aires, Argentina. Organização de Mesa (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Link: https://www.caia.org.ar/docs/CAIA%20Programa%20X%20Congreso%20_f.pdf

OLIVEIRA, M. M. Curadoria da exposição Comigo ninguém pode, na Galeria Jaqueline Martins, São Paulo, setembro/2019.
Link: https://galeriajaquelinemartins.com.br/en/exhibition/comigoninguempode

OLIVEIRA, M. M. Curadoria da exposição Especular, na Galeria Jaqueline Martins, São Paulo, janeiro/2018.
Link: https://galeriajaquelinemartins.com.br/en/exhibition/especular

OLIVEIRA, M. M. O modernismo não hegemônico das micronarrativas. 2018. Instituto Tomie Ohtake. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Link: https://www.institutotomieohtake.org.br/programacao/interna/o-modernismo

OLIVEIRA, M. M. Abordagens educacionais em museus de arte da cidade de São Paulo: narrativas e estratégias de convencimento em programas públicos. (2016-2018). VI Colóquio Luso-Brasileiro de Sociologia da Educação, Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Link: https://sociologiadaeducac.wixsite.com/vilusobrasileiro/programacao-do-coloquio-1

OLIVEIRA, M. M. Ação Educativa em Exposições – Palestra para capacitação de educadores no SESC Pompeia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Link: https://www.sescsp.org.br/programacao/153075_RESIDENCIA+EDUCATIVA+2018

OLIVEIRA, M. M. Escolas de design| América Latina, Europa, EUA e Fases da Bauhaus Weimar, Dessau, Berlim. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

OLIVEIRA, M. M. Bauhaus e a inserção feminina. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

OLIVEIRA, M. M. MIGUEL, J. D.; NASCIMENTO, M.; LIMA, C. Mesa de debate – Vkhutemas: o futuro em construção. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Link: https://www.findglocal.com/BR/S%C3%A3o-Paulo/424505651052363/Melanina-Produ%C3%A7%C3%B5es-Culturais

OLIVEIRA, M. M.; FREYZE-PEREIRA, J. Arte e Gênero: ambiguidades em narrativas históricas. Conferência proferida no XII Diálogo Latino Americano Intergeracional entre Homens e Mulheres – ‘Desafios da Psicanálise frente às Novas Configurações Sexuais e Familiares’, promovido pela Sociedade de Psicanálise-SP. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Link: https://www.spbsb.org.br/site/images/Cowap/XII_dialogo.pdf

OLIVEIRA, M. M.; LAGNADO, L.; STEEDS, L. Estudos e Práticas curatoriais (Parte 2): o conceito de História. I Seminário Internacional de Escolas de Arte do Parque Lage. Rio de Janeiro. EAV Parque Lage. Mediação de Lisette Lagnado e participação de Lucy Steeds, (Central St. Martins). 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).
Link: https://acervo.memorialage.com.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/14431/folder_NOITEBENEFICENTE_EAV.pdf

Curadoria da exposição Arte para Todos! Liberação e Consumo, no Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, julho/2016.
Link: https://www.iff.art.br/exposicoes/arte-para-todos

DATJournal – Design, Art and Technology (2526-1789)
Link: https://datjournal.anhembi.br

Estudos em Design. ISSN: 1983-196X
Link: https://estudosemdesign.emnuvens.com.br

DRS – Design Research Society
Link: https://www.designresearchsociety.org/

SAS – Society for Animation Studies
Link: https://www.animationstudies.org

DIGRA – Digital Games Research Association
Link: https://www.digra.org/

ABCA -Associação Brasileira de Cinema de Animação
Link: https://abca.org.br/

SEANIMA – Seminário Brasileiro de Estudos em Animação
Link: https://seanima.org/

SBC – Sociedade Brasileira de Computação
Link: https://www.sbc.org.br/